terça-feira, 27 de novembro de 2007

Na tua teia


Na tua teia caí,

Nela me despi,

Senti...

Os beijos que viciam,

O toque macio das tuas mãos,

O calor do teu corpo junto ao meu,

Senti...

A forma mágica de te ter!!!

Deixei-me enredar, nessas finas fiadas de seda,

Que tão meticulosamente bordaste,

Senti-me delirar, a cada passo que nela caía...

Mas a teia, desfez-se,

E agora dela, restam apenas saudades!



9 comentários:

Menina do Rio disse...

Quem nunca caiu nas teias de uma paixão que arde, urde, tece, trama, enrola, enrosca feito visgo...
Um beijo pra tu

Pearl disse...

Mais um repleto de sensualidade!
cada vez melhor!!!
:o)))***

Mustafa Şenalp disse...

Your blog is very nice:)

malukinha d'arroios disse...

louca, maravilhosa_mente louca,

as teias, são perigosas... mesmo as de amor... mas sei, que só te prende quem tu deixares... e nem toda a gente tem a arte, de construir uma rendilhada teia, de sedosos fios, coloridos e brilhantes, flexiveis, inconstantes.


abraço da malukinha

Curioso disse...

Op, menina...

Sortudo, quem lhe conseguiu fazer a teia!! Musica exclente.

Beijinho

oArtista disse...

É tão fácil sermos enredados em finas fiadas de seda, em teias tecidas por quem amamos. Porque quando assim sé desejamos ser enredados. Quando se desfaz a teia a queda é grande...e as saudades tomam conta de nós...
Um beijo

KI disse...

E a teia desfaz-se e volta a enredar, porque enquanto existir presa e caçado miram-se em olhares provocantes e jogos sensuais até que...


Beijos :)

suruka disse...

Olá op. louca


ohhhh!!!!
E porque é sempre assim?

bj

su disse...

Para além das saudades as lembranças também são algo de muito bom!
Há mais alguém por aqui que gosta de teias!! ;)